PABX: (81) 3797.2517 – FAX: (xx81) 3797.2514

EXPEDIENTE:

Seg. a Qui.: 08h às 17h
Sex: 08h às 14h

Denúncias ao CRMV-PE agora podem ser feitas via whastapp

A partir de agora o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) passa a contar um canal exclusivo no whatsapp para recebimento de denúncias ligadas ao trabalho de fiscalização do Conselho. A nova ferramenta visa dar aos cidadãos e também aos profissionais a oportunidade de informar com mais facilidade e rapidez ao CRMV-PE sobre irregularidades cometidas por médicos veterinários, zootecnistas e estabelecimentos ligados ao setor.

O canal funciona de segunda a quinta-feira, das 8h às 17h, e nas sextas das 8h às 14h, pelo número 81. 99649.1499, que é exclusivo para o recebimento de mensagens! Todas as denúncias enviadas devem seguir acompanhadas das provas necessárias (fotos e vídeos, por exemplo) para abertura do processo de investigação. E o denunciante pode ou não se identificar.

“A ideia do sistema, já que vários outros conselhos regionais estão adotando a modalidade, é oferecer mais uma forma de comunicação direta para o público, aproveitando os recursos tecnológicos existentes, diminuindo a burocracia e facilitando o acesso dos profissionais e cidadãos ao serviço de fiscalização do CRMV-PE. A medida visa estreitar relações e multiplicar nossos olhos e ouvidos sobre ações e condutas irregulares. Isso é de suma importância para todos, ganha a classe e ganha a sociedade”, explica o presidente do CRMV-PE, Marcelo Teixeira.

Atenção!!!

Denúncias de exercício irregular da profissão não serão recebidas pelo whatsapp, devendo ser protocoladas presencialmente conforme prevê a Resolução CFMV nº 875/2007 (https://bit.ly/2VJWz24).

 

Manual para Vigilância e Controle de Leishmanioses nas Américas

A Organização Pan-americana da Saúde (OPAS) lançou, no mês de março, o Manual de Procedimentos para Vigilância e Controle de Leishmaniose nas Américas. Com o objetivo de ser um instrumento de apoio às áreas que trabalham com a doença nos países endêmicos, a publicação é resultado de um trabalho da OPAS em conjunto com especialistas e representantes dos Ministérios da Saúde nos diversos países.

A ideia é que os profissionais utilizem o Manual como ferramenta de trabalho para ampliar o conhecimento sobre a doença. O documento também é uma base de apoio aos Programas Nacionais de Controle da Leishmaniose e as Áreas de Vigilância em seus respectivos processos de estruturação de serviços de saúde.

A publicação, escrita em espanhol, tem 166 páginas e apresenta um compilado completo da doença, com temas que vão desde Epidemiologia, Imunopatogenia, Manifestações Clínicas, até Tratamento.

A Organização Pan-americana da Saúde lançou também outra fonte de consulta sobre a doença: “Leishmanioses: Informe Epidemiológico nas Américas” (em português).

Nele é possível entender a evolução da doença ao longo dos anos (até 2017), com gráficos comparativos e imagens, e também ver os últimos dados sobre as ações estratégicas de combate à doença.

Tire duas dúvidas, sobre  a Leishmaniose Visceral Canina (LVC), aqui.

Leia também:

CFMV defende o cumprimento de portaria interministerial que normatiza o tratamento da leishmaniose

Prevenção ainda é a melhor forma de conter a leishmaniose

 

Assessoria do CFMV

Sucesso na ação de capacitação profissional realizada em Salgueiro

Os cursos gratuitos de capacitação profissional promovidos pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) em Salgueiro, no Sertão pernambucano, mais uma vez foram um sucesso, reunindo profissionais e estudantes de medicina veterinária e zootecnia da região e arredores.

A tesoureira do CRMV-PE, a Dra. Mirian de Fátima Magalhães Torres, revela que a ideia da instituição é manter a frequência dos eventos no interior do Estado, atendendo assim aos pedidos da classe. Ela ressalta que sempre que realizados, os eventos itinerantes são abraçados pelos municípios participantes. Os profissionais também elogiam bastante a ação, ressaltando os benefícios da descentralização das atividades do Conselho e a importância da itinerância, pois é isso que proporciona um envolvimento e alcance cada vez maior de profissionais.

Para saber mais sobre os assuntos abordados na programação dos cursos, classificado pelos participantes como muito produtivo, clique aqui.

Confira as fotos:

Nota de pesar

Informamos, com profunda consternação, o falecimento do grande colega e professor Silvio Camerino Paes Barreto, um ícone da Medicina Veterinária de Pernambuco. Durante sua marcante trajetória, o médico veterinário contribuiu muito com o crescimento da classe e com a formação de várias gerações de profissionais. Sabemos que sua ausência deixará uma lacuna enorme entre os familiares, amigos e colegas de profissão.

Na convicção plena de que Silvio Camerino cumpriu com amor e competência sua missão aqui na Terra, o CRMV-PE manifesta sua solidariedade aos familiares e sua grande admiração ao colega que parte para a eternidade.

O velório será realizado na Capela do Cemitério de Santo Amaro, hoje (quarta-feira, 3), às 14h. O sepultamento acontece às 16h.

CRMV-PE promove cursos gratuitos de capacitação em Salgueiro

Nesta sexta-feira (29), o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) aporta na Unopar de Salgueiro para promover um dia inteiro de cursos gratuitos voltados para a capacitação profissional de médicos veterinários, zootecnictas e estudantes do município e arredores, das 9h às 18h. O foco das palestras é o segmento de Responsabilidade Técnica (RT), um dos mais promissores mercados de trabalho da área na atualidade, mas ainda pouco explorado pelos especialistas. Segundo dados do CRMV-PE, dos 3.395 profissionais inscritos no conselho pernambucano, apenas 417 estão registrados como RTs.

Número que ainda não acompanha as necessidades do mercado, visto que as oportunidades relacionadas à função não param de crescer, pois diversas empresas são obrigadas por lei a terem entre seus colaboradores um responsável técnico. Cargo que exige muita disciplina e atualização de conhecimentos, já que o RT tem função parecida com a de fiscais em qualquer atividade que crie, manipule, preste serviços ou comercialize produtos de origem animal ou destinado aos animais.

Em Salgueiro, a programação será aberta, às 9h, pelo presidente do CRMV-PE, o médico veterinário Marcelo Weinstein Teixeira, que logo em seguida palestrará sobre “Responsabilidade Técnica, Informes Gerais e Legislação”, tendo como moderadora do tema Mirian de Fátima Magalhães Torres, tesoureira do Conselho.

“O objetivo do evento é promover a integração de diferentes áreas do conhecimento que atuam e auxiliam no desenvolvimento dos RT’s. As palestras geram um espaço extremamente construtivo de discussão, possibilitando, de forma geral, um aprofundamento dos conhecimentos e a oportunidade de troca entre público e palestrantes”, explica o presidente do CRMV-PE.

Logo em seguida, às 10h30, será o momento de falar sobre “Responsabilidade Técnica em Eventos Equestres, Haras, Jóqueis-Clubes e Outras Entidades Hípicas”. O tema terá como palestrantes os conselheiros Jorge Eduardo Lucena, zootecnista, e Marcelo Brasil Machado, médico veterinário. Na conversa, ainda serão abordados assuntos ligados à exposição de animais, feiras, leilões e outros eventos pecuários, enfatizando a Defesa Sanitária Animal. Mais uma vez a tesoureira Mirian Torres atua na moderação da palestra.

Após o intervalo do almoço, a programação recomeça falando sobre “Responsabilidade Técnica nas Unidades de Beneficiamento de Carne e Produtos Lácteos”, trazendo como palestrante o médico veterinário em Biomedicina Flávio de Oliveira Silva, representante da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro). O conselheiro Marcelo Brasil atua como moderador.

Encerrando a programação, às 16h, o evento recebe uma palestra sobre botulismo, uma doença bacteriana rara, porém grave que ocorre quando a bactéria causadora da doença entra no organismo por meio de machucados ou pela ingestão de alimentos contaminados, principalmente os enlatados e os que não são preservados adequadamente. Para falar sobre o assunto, a médica veterinária Tânia Alen Coutinho, que também atua como professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco – Unidade Acadêmica de Garanhuns (UFRPE-UAG). Como moderador, Marcelo Brasil.

Toda a programação é gratuita. As inscrições devem ser feitas diretamente no local no dia e horário do evento.

 

Serviço – Curso de Responsabilidade Técnica

Quando: Sexta-feira, 29

Onde: Salgueiro – Unopar (Rua Major Antônio Rufino, 1119, Nossa Sra. das Graças – Bomba)

Horário: Das 9h às 18h

Inscrições gratuitas

Médicos-veterinários reforçam vigilância sanitária no Carnaval

Durante os quatro dias de folia do carnaval, quem está se divertindo ou trabalhando acaba consumindo alimentos e bebidas na rua. Para garantir a segurança alimentar da população, os médicos-veterinários das vigilâncias sanitárias (Visa) reforçam a fiscalização do comércio de produtos de origem animal. O objetivo é prevenir a venda e o consumo de alimentos sem adequações sanitárias, que ofereçam riscos à saúde pública e transmitam doenças ou originem intoxicações alimentares, como a causada pela bactéria Salmonella.

Justamente para orientar vendedores e foliões nesse período de festa, os médicos-veterinários das Visas estão nas ruas realizando inspeções nos estabelecimentos fixos e orientando ambulantes das cidades que sediam as principais concentrações carnavalescas.

Confira as ações previstas para  Recife eOlinda.

 

Recife – O Galo da Madrugada costuma reunir mais de um milhão de pessoas nas ruas da capital de Pernambuco. Por lá, a Vigilância Sanitária também já está capacitando os ambulantes cadastrados pela prefeitura.

A médica-veterinária Maria Elisa Almeida de Araújo, da Comissão de Responsabilidade Técnica do CFMV (Conret/CFMV), é inspetora da Vigilância Sanitária do Recife e explica que, de 27 de fevereiro a 5 de março, haverá um estande em local estratégico, onde estarão equipes multidisciplinares que realizarão inspeções de alimentos em camarotes, trios elétricos e comércio informal.

“O médico-veterinário, além da inspeção dos produtos de origem animal, participa ativamente das atividades relacionadas ao meio ambiente, realizando avaliação da qualidade da água, o destino dos resíduos e a destinação adequada do esgotamento sanitário dos trios elétricos”, garante Maria Elisa.

Durante toda a festa do Galo da Madrugada, serão formadas barreiras sanitárias na cidade para apreender e inutilizar produtos clandestinos, evitando que cheguem ao consumidor. “Tudo para garantir alimentos seguros à população, em especial aos foliões, que nesse período vêm de todo o país e de fora também”, lembra.

De acordo com a inspetora, nessa época aumenta o consumo de produtos de origem animal, como queijo de coalho, espetinhos de carne, frango e de salsichão. “O risco desses produtos serem clandestinos é muito grande. A conservação é fator importante e as condições de temperatura desses alimentos são sempre foco da fiscalização”.

A orientação da médica-veterinária é que os foliões consumam os alimentos ainda quentes. “A multiplicação microbiana depende do binômio tempo-temperatura, então, primeiro observem se os alimentos estão bem conservados, prefiram os que não ficaram expostos e tenham acabado de ser cozidos, fritos ou assados em altas temperaturas, pois tendem a sofrer menor contaminação”, explica.

Olinda – A animação dos bonecos de Olinda também já mobiliza a Vigilância Sanitária do município a capacitar os ambulantes que vão trabalhar nas ladeiras do Sítio Histórico durante o carnaval.

Os inspetores explicam as formas de acondicionamento e manuseio dos alimentos e bebidas, que o local deve estar limpo e organizado e os produtos, devidamente armazenados e lacrados; indicam o tipo de gelo recomendado, com selo de garantia e dentro do prazo de validade. Ainda destacam que os manipuladores de alimentos precisam usar luvas, touca, roupas de cores claras e sem ornamentos.

A orientação dos médicos-veterinários da Secretaria de Saúde de Olinda é que os foliões não consumam alimentos e bebidas com procedência desconhecida, observando data de validade, aspecto dos produtos e higienização do ambiente comercializado.

 

Assessoria de Comunicação do CFMV

Saúde mental, currículo e EaD são temas do XXIV Senemev

A Comissão Nacional de Educação de Medicina Veterinária do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CNEMV/CFMV) fechou a programação do XXIV Seminário Nacional de Educação da Medicina Veterinária (Senemev), agendado para os dias 6 e 7 de maio, em Brasília. O evento terá palestras e debates voltados a coordenadores de cursos de Medicina Veterinária, presidentes de comissões regionais de Educação e estudantes. Na abertura será lançado o edital para o 3º Ciclo de Acreditação dos cursos de Medicina Veterinária.
Nesta edição, a maior parte da programação abordará tópicos relacionados à saúde mental de docentes e estudantes e foi elaborada com base em sugestões das comissões regionais, durante o Fórum das Comissões Nacional e Regionais de Educação da Medicina Veterinária, realizado em julho do ano passado. As inscrições serão abertas em breve.

Síndrome de Burnout, a prevenção ao suicídio e o estresse laboral estão no centro do debate, assim como as diretrizes curriculares nacionais, o ensino a distância (EaD), métodos ativos de ensino-aprendizagem e alternativas ao uso de animais no ensino de Medicina Veterinária.

Lançamento do Edital do 3º Ciclo de Acreditação – No dia 6, a abertura do seminário marcará ainda o lançamento do edital para o 3º Ciclo de Acreditação dos cursos de Medicina Veterinária. Para participar, as instituições de ensino superior que ofereçam o curso devem preencher formulário de inscrição e termo de compromisso de participação voluntária, bem como cumprir os requisitos e enviar informações e documentos comprobatórios. A candidatura é voluntária e não substitui o reconhecimento já realizado pelo Ministério da Educação (MEC).

Assessoria de Comunicação do CFMV

Horário de funcionamento do CRMV-PE durante o Carnaval

Devido ao período carnavalesco, o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco encerrará o expediente nesta sexta-feira às 12h, retornando às atividades, em horário normal de atendimento, no dia 7 de março, próxima quinta-feira!

Bom Carnaval!!!

CFMV veda inscrição de egressos de cursos EAD de Medicina Veterinária

Durante a 321ª Reunião Plenária do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), realizada na quinta-feira (21/2), foi aprovada por unanimidade a Resolução nº 1.256 que proíbe a inscrição de egressos de cursos de Medicina Veterinária realizados na modalidade de ensino a distância.

Sem a inscrição no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), quem tiver concluído o curso a distância fica impedido de exercer a profissão de médico-veterinário em todo o país. E os profissionais que ministrarem disciplinas ou estiverem envolvidos na gestão dos cursos a distância estão sujeitos à responsabilização ético-disciplinar.

A autorização de cursos de graduação é uma atribuição do Ministério da Educação (MEC) e o CFMV não possui competência para evitar a proliferação da metodologia a distância em Medicina Veterinária. No entanto, a Plenária do Conselho entende que a modalidade impede a realização de aulas práticas essenciais para preparar o bom profissional.

Atualmente, as diretrizes curriculares do MEC admitem que 20% da grade horária da graduação de Medicina Veterinária seja realizada por aulas on-line, desde que restritas aos conteúdos meramente teóricos. O CFMV defende que os outros 80% das aulas sejam ministrados exclusivamente sob a modalidade presencial, inclusive, com estágio profissional.

O presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti de Almeida, destaca que o curso de Medicina Veterinária demanda inúmeras atividades práticas e de campo, como anatomia, fisiologia, clínica, cirurgia, patologia, análises laboratoriais, entre outras operacionais e de manejo técnico, cuja aprendizagem só ocorrem por meio de aulas presenciais, conforme prevê a Resolução nº 595/1992.

De acordo com o presidente do CFMV, os estudantes de Medicina Veterinária passam por árduo treinamento para aprender a identificar as queixas de pacientes que não falam e não podem comunicar verbalmente o que sentem.

“Já é um processo complexo de aprendizagem em aulas presenciais. Imagine como seria aprender isso virtualmente? Como seriam aulas on-line de auscultação do coração ou dos movimentos estomacais? ”, exemplifica o presidente para demonstrar que a formação requer prática e contato direto com os animais.

Para Cavalcanti, a educação inadequada gera prejuízos à formação profissionalizante e impacta diretamente os serviços prestados à sociedade. “Como órgão que fiscaliza o exercício profissional, queremos zelar pela qualidade do mercado de trabalho e pela saúde da população”, afirma o presidente.

Ele garante que a preocupação do Conselho não está restrita ao mercado de trabalho, mas também ao investimento do aluno em uma educação que não vai prepará-lo de forma adequada.

“É um curso caro, o aluno tem a expectativa de uma sólida formação, mas acaba sendo vítima de um sistema de educação meramente mercantilista, que não garante formação de qualidade”, alerta Cavalcanti.

Assessoria de Comunicação do CFMV

Carta de repúdio à autorização de cursos de Medicina Veterinária na modalidade EAD

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) se declara totalmente contrário à oferta de cursos de graduação em Medicina Veterinária na modalidade de Ensino a Distância surgidos após a determinação do Ministério da Educação (MEC) permitindo que o curso em questão seja oferecido como semipresencial. A decisão abre precedentes para que diversas instituições de ensino superior, a exemplo da Uninassau que acaba de anunciar a graduação em Veterinária EAD, iniciem ofertas como esta, que apenas contribuem para a desqualificação e insatisfação da categoria profissional e de seus órgãos de representação e fiscalização.

A contrariedade à oferta se baseia no fato de que se trata de uma profissão de formação evidentemente teórica e prática, com muitas áreas de atuação. De acordo com as diretrizes curriculares nacionais para graduação em Veterinária, a formação profissional requer desenvolvimento de habilidades técnicas, supervisionadas, desde o início do processo de formação, com disciplinas, que envolvem, por exemplo, a clínica e a cirurgia de pequenos e grandes animais, além de várias outras que demandam a presença física do acadêmico.

Assim, para o CRMV-PE, não existe a possibilidade de formar um profissional minimamente qualificado em um curso que não proporciona uma vivência prática adequada, sendo este um dos principais motivos para que a existência de uma faculdade de Veterinária EAD seja inaceitável, praticamente um estelionato. Principalmente por se tratar de um curso na área da saúde, com diversos procedimentos que precisam ser ensinados presencialmente, com supervisão constante.

O Conselho acredita que com a liberação desses cursos, a sociedade sofrerá com uma piora significativa na qualidade dos serviços oferecidos pelos médicos veterinários, de imediato, a médio e a longo prazo, o que coloca em risco o bem-estar animal, o meio ambiente e também a saúde pública, visto que esses profissionais desempenham um papel fundamental na manutenção e equilíbrio da saúde única.

Atualmente, poucas profissões passam por uma análise profunda antes da abertura de cursos a distância, como é o caso da Medicina, da Odontologia, da Psicologia e do Direito. Uma das principais lutas do CRMV-PE é fazer com que a Medicina Veterinária seja incluída nessa lista de cursos que precisam passar por um crivo.

Embora o entendimento do MEC seja diferente, o CRMV-PE, como órgão fiscalizador do exercício profissional, visando a segurança e a proteção da sociedade, tem a obrigação de orientar e alertar a todos os cidadãos quanto aos riscos e prejuízos de frequentar e formar profissionais na modalidade de graduação EAD para a formação em Medicina Veterinária, se declarando publica e expressamente contrário a oferta em todo o território nacional, visto que a modalidade a distância é incompatível com profissões que precisem garantir atendimento seguro e de qualidade na área da saúde.

Diretoria do CRMV-PE